12 de dez de 2009

Militares americanos usam videogames para o recrutamento militar.

Somente em 2009, foram gastos 3 milhões de dólares no game, que mostrou ser a melhor ferramenta de recrutamento e propaganda militar criada até hoje naquele país. Clique abaixo (ou no título) para contiuar a ler ("The Truth is out there!").

Militares americanos gastaram mais de 30 milhões de dólares em videogame de recrutamento.
Sáb, 12 Dez - 11h36

Fonte: Yahoo! Tecnologia

Somente em 2009, foram gastos 3 milhões de dólares no game, que mostrou ser a melhor ferramenta de recrutamento e propaganda militar criada até hoje naquele país.
Por Luciana Alves
Barack Obama ganhou o prêmio Nobel da Paz deste ano, mas o exército dos Estados Unidos continua a investir pesado para aumentar suas tropas. Entre suas ações de recrutamento e propaganda está o seu próprio videogame, o America?s Army . De acordo como o TechRadar , o custo total do jogo desde a sua criação, em 2000, foi de 32,8 milhões de dólares.
A descoberta foi feita pelo site especializado em videogames Gamespot , que, através do Freedom of Information Act (lei que regulamenta o direito de informação nos Estados Unidos), solicitou o orçamento total do jogo. Somente em 2009, foram gastos mais de 3 milhões de dólares no projeto.
De acordo com seu site, o America?s Army é o jogo oficial do exército dos EUA , que dá aos jovens americanos um ambiente virtual no qual eles podem explorar uma carreira militar. Originalmente projetado para durar apenas 5 anos, o game já conta com 9 anos de existência e está na sua terceira versão.
Sua longa vida possivelmente deve-se à sua eficácia como dispositivo de recrutamento. De acordo com estudo do MIT , realizado em 2008, 30 por cento de todos os americanos de 16 a 24 anos tiveram uma impressão mais positiva do exército por causa do jogo, que teve mais impacto em recrutas do exército do que qualquer outra forma de publicidade, como por exemplo o uso de redes sociais pelo exército ou o emprego de gadgets como o iPod como parte do equipamento de combate.




Nenhum comentário:

Postar um comentário